A Hospedeira

10:58








Livro: A Hospedeira
Autora: Stephenie Meyer
Páginas: 557







Nosso planeta foi dominado por um inimigo que não pode ser detectado. Os humanos se tornaram hospedeiros dos invasores: suas mentes são extraídas, enquanto seus corpos permanecem intactos e prosseguem suas vidas aparentemente sem alteração. A maior parte da humanidade sucumbiu a tal processo. Quando Melanie, um dos humanos "selvagens" que ainda restam, é capturada, ela tem certeza de que será seu fim. Peregrina, a "alma" invasora designada para o corpo de Melanie, foi alertada sobre os desafios de viver dentro de um ser humano: as emoções irresistíveis, o excesso de sensações, a persistência das lembranças e das memórias vívidas. Mas há uma dificuldade que Peregrina não esperava: a antiga ocupante de seu corpo se recusa a desistir da posse de sua mente. Peregrina investiga os pensamentos de Melanie com o objetivo de descobrir o paradeiro dos remanescentes da resistência humana. Entretanto, Melanie ocupa a mente de sua invasora com visões do homem que ama: Jared, que continua a viver escondido. Incapaz de se separar dos desejos de seu corpo, Peregrina começa a se sentir intensamente atraída por alguém a quem foi submetida por uma espécie de exposição forçada. Quando os acontecimentos fazem de Melanie e Peregrina improváveis aliadas, elas partem em uma busca incerta e perigosa do homem que ambas amam.

A história no início pode ser confusa, ainda mais quando se está lendo e não vendo (vulgo filme). O que quero dizer, é que no começo, Peregrina (Peg) está sendo colocada no corpo de Melanie (Mel) - aí você se pergunta, como assim??? Ok, vou explicar:


O livro é grande, com muita informação. Duas pessoas em um mesmo corpo, pode ser confuso, mas a maior parte do tempo, Peg  que conduz a história. Letras diferenciam quando Mel pensa/fala. O livro não é ruim, mas ás vezes se tornou cansativo.
O planeta Terra é invadido por seres não muito detectáveis. Eles chamam os humanos de hospedeiros. Os invasores quase não perceptíveis, são apenas "almas" e que são colocados nos hospedeiros e vivem como o dono do corpo, extraindo a mente (ou alma) do seu hospedeiro.
Quase toda a população já sofreu este processo, mas os humanos que escaparam são chamados de "selvagens".
Melanie é uma humana "selvagem" que por falta de sorte foi capturada.
O que surpreende Peregrina em sua nova vida, são as emoções e sentidos que o corpo tem e seu pequeno brinde: Melanie ainda não tinha desistido do seu corpo e continuava a lutar. A missão de Peregrina é de eliminar Melanie e descobrir o paradeiro dos outros humanos, mas não é tão simples assim...
Duas personalidades diferentes em um só corpo. Peregrina começa se envolver nas preocupações de sua Hospedeira, trazendo problemas para si por causa da impaciência dos outros da sua espécie. Então embarcamos na busca pelo irmão e o namorado de Melanie.
Peregrina passa a criar uma aliança (mesmo no início, relutante) com Melanie, mas a procura pelos humanos não sai como o esperado: os humanos desconfiam que Melanie não exista mais e que tudo que Peregrina diz é um truque e uma armadilha.
Já os invasores (as almas que já estão em humanos - específicos para ir atrás de alguém, os buscadores) vão a sua procura.
Depois de uma longa aventura, Peg pode mesmo comprovar sua lealdade aos humanos.
O final para saber o que vai ser de Peg e Mel....Será que uma delas vai deixar de existir no mesmo corpo e abrir mão do amor de alguém e da família? Bem, isso eu não vou contar...

Eu recomendo ler quem gosta desse tipo de livro com envolvimento de romance e ficção-científica.




Um pouco mais sobre A Hospedeira...

O livro ganhou adaptação nos cinemas e foi lançado em março de 2013, Ele teve uma má recepção por parte dos críticos de cinema. Contudo, entre a base de fãs criada pelo romance de Meyer, o filme teve boa aceitação.

You Might Also Like

0 comentários

Visualizações da página